quinta-feira, janeiro 25, 2007

O que eu não gosto é do bom gosto
Eu não gosto do bom senso.

Agora que estou tendo a honra de mexer um pouco mais nesse layout, estou trazendo algumas coisinhas que eu tinha lá no primeiro blog, uns enfeites, banners e tal...

Coloquei um banner das campanhas digitais contra o preconceito racial e sexual. Já tive um banner "straigh, but not narrow", mas o site acabou e eu perdi o banner.

O filho de um amigo tem síndrome de Down. Quando ele nasceu, a geneticista que é uma das maiores do Brasil, disse a ele que a criança down deve ser criada como qualquer ser humano, respeitando-se apenas suas limitações. Assim eu tratei o guri desde a primeira vez que o vi, assim o pai e a mãe o tratam.

Comentei isso com uma pessoa que me disse: "ah tá, você pensa assim porque não é seu filho, seu filho é só um sem-vergonha que não gosta de estudar!"

Há realmente um limite para a falta de preconceito? Até onde sou realmente desencanada e respeito qualquer diferença? E se meu filho fosse gay? E se meu filho tivesse nascido com alguma limitação?

Tenho uma amiga muito querida, cujo filho lhe contou essa semana que é gay. Ela, assim como eu, tem vários amigos gays. Porém sua reação foi assustadora!!

Desde a primeira vez que eu vi o garoto, eu sabia que ele era gay, mas nunca disse nada. O que é que eu tenho com isso? Se ele não fosse gay eu iria comentar? Não né? Então pronto!

O garoto tem 18 anos. Ela deu nele uma surra, mandou embora de casa e disse a ele coisas que até eu corei quando ela me disse que tinha falado pro garoto...

Prá dar uma noção... eu tentava confortá-la dizendo: "É seu filho, quando essa raiva passar vocês vão ficar bem." E ela respondia: ele não é meu filho porque eu não pari viado, eu pari homem!! Encontrei com ela hoje de manhã e parece que ela envelheceu 10 anos...

Pensei, pensei muito, lembrei de alguns clichês, e na verdade, não cheguei a nenhuma conclusão!! Como é que eu posso saber como reagiria se não estou passando pela situação?

Quando meu filho estava com 12 anos, comprou um monte de filmes nos canais adultos, eu ainda não tinha bloqueado os canais. Tomei um ferro de mais de cem reais!! Dei uma bronca, frisei que eu não estava punindo por causa da curiosidade em relação ao assunto, mas pelo dinheiro que ele me fez gastar porque não prestou atenção que estava comprando um filme!!

Tenho certeza apenas que sempre vou amar meu filho, mas ele nunca será superprotegido, se errar será punido, e sofrerá as conseqüências, mas ele cresce sabendo que nunca será julgado ou discriminado por suas escolhas pessoais.

Acho que minha desencanação não tem limites.

Senhas
Adriana Calcanhoto

Eu não gosto do bom gosto
Eu não gosto do bom senso
Eu não gosto dos bons modos
Não gosto
Eu agüento até rigores
Eu não tenho pena dos traídos
Eu hospedo infratores e banidos
Eu respeito conveniências
Eu não ligo pra conchavos
Eu suporto aparências
Eu não gosto de maus tratos

Mas o que eu não gosto é do bom gosto
Eu não gosto de bom senso
Eu não gosto dos bons modos
Não gosto

Eu agüento até os modernos
E seus segundos cadernos
Eu agüento até os caretas
E suas verdades perfeitas

O que eu não gosto é do bom gosto
Eu não gosto de bom senso
Eu não gosto dos bons modos
Não gosto

Eu agüento até os estetas
Eu não julgo competência
Eu não ligo pra etiqueta
Eu aplaudo rebeldias
Eu respeito tiranias
E compreendo piedades
Eu não condeno mentiras
Eu não condeno vaidades

O que eu não gosto é do bom gosto
Eu não gosto de bom senso
Eu não gosto dos bons modos
Não gosto

Eu gosto dos que têm fome
Dos que morrem de vontade
Dos que secam de desejo
Dos que ardem.

2 comentários:

Joana disse...

Assim mesmo, grande mãe você! E nunca sabemos mesmo como seria se fosse conosco, é mesmo assim, mas aceitar cada um como é penso que é estado de graça nesta vida, assim também nos aceitam como somos, e às vezes temos caracteristicas bem mázinhas!
Bjinhos

Adri disse...

Realmente essa sua amiga é muito louca, mas infelizmente a maioria é assim. E o pior é que o preconceito as vezes nem é dela, mas dos outros. O que os outros vão dizer se souberem que meu filho é homossexual... Como se os outros tivessem alguma coisa com isso e pagassem as contas dela. Coitado desse menino... Onde ele poderia encontrar apoio encontrou mais dor... como se o mundo por si só já não fosse ruim o bastante. Uma pena mesmo que exista ainda tamanho preconceito.