segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Extreme.

Meio travada para sentimentos. Ou melhor, para demonstrar sentimentos. Ou interesse numa paquera. É assim que eu sou, não é que eu não consiga dizer: "eu amo você" para meu filho, ou para um amigo querido. Ou que não demonstre que amo com um abraço, um mimo, um carinho.

Eu sou bem "abracenta" a Esfinge, a Marcinha, o Armando sabem muito bem disso!! Não sou babona, mas demonstro o que sinto, sentindo. Dá prá entender? Se eu gosto eu abraço, eu mimo, eu digo e mostro!!

Mas quando se trata de uma relação amorosa... aí é difícil!! Não que eu banque a durona para me fazer de difícil, ao contrário, acho que eu sou até bem "facinha" sentimentalmente. Assim como sou com todos.

Mas por experiência, tornou-se difícil porque, se há uma coisa no mundo faça eu me sentir mal comigo mesma, é achar que estou sendo inconveniente.

Ficou difícil porque, em relações amorosas acho que algumas coisas funcionam de uma forma que eu não compreendo. Uma mulher apaixonada, é vista como demente, insana, inconveniente, louca, daquelas que vai ligar 250 mil vezes, mandar 500 mil emails e bater na sua porta, se souber o endereço do infeliz.

Mulher apaixonada dá medo!! Eu estou mais tempo da minha vida sozinha, do que acompanhada. Porém já estive apaixonada um sem-número de vezes!!

Quem me lê sabe que nesse momento eu estou numa dor de cotovelo danada, porque estou me afastando de um cara por quem ainda tenho sentimentos. E ele é desse tipo, sempre me dizia que tinha medo que eu me apaixonasse. E eu me apaixonei...

No entanto minha vida continuou bem estruturada, eu crio um adolescente, e tenho um emprego estável e minhas contas de telefone e celular são bastante baixas, sem ligações para ele. A bem da verdade, nesses dois anos de rolo, se eu liguei para ele 4 ou 5 vezes foi muito.

Quando nos encontrávamos eu dizia: "gostaria de ver você mais amiúde". Cheguei a fazer uma . Foi o máximo onde cheguei.

Mas, sem generalizar, porque todo o exposto aqui é baseado em minha experiência apenas, noto que, se por um lado, eles não querem que a gente pegue no pé, por outro lado ficam desinteressados se a gente se mostra equilibrada. Se você não liga milhões de vezes, mas quer trepar a noite inteira quando se encontra, tem alguma coisa errada aí.

É algo assim: "Você pode sentir o que quiser, mas não pode demonstrar, senão eu perco o interesse. Tenho que me sentir inseguro para me manter interessado. Mas quero que você banque a louca e me persiga, se nós ficarmos juntos. E não quero que dê prá mim sempre não, porque eu quero reclamar disso".

Não funciona assim comigo... para me mostrar indiferente, só se a situação for mesmo indiferente. Eu posso fazer sexo com alguém por quem não esteja apaixonada, se houver atração física e carinho, mas nunca vou conseguir deixar de demonstrar o que sinto enquanto sinto!! Só lamento!!

Deve ser por isso que eu estou sempre um momento atrás, ou na frente nos meus relacionamentos. O sujeito só acha de se entregar na relação quando eu já não quero mais, e aí mostro que perdi o interesse. Quando a paixão que foi mal alimentada morreu e não virou amor...



"More than words is all you have to do to make it real
Then you wouldn´t have to say that you love me
Cos I´d already know"

More than words;
Extreme - Lyrics

More than words;
Extreme - Letra

5 comentários:

Rubina disse...

Tudo isso é verdade, e não é fácil encontrar o equilíbrio. Nós nunca sabemos se estamos a agir bem. Parece que se munda de país, ou continente, mas as dúvidas são as mesmas. Uma vez uma amiga disse: o que sei é que se ele gosta fica, procura e se entrega...Será? Gostei da música do Nuno, ele é português!

Parabéns pelo blogue. Vou voltar :)

Beto disse...

Relacionamentos e entregas são sempre complicados!!! O negócio é não ficar pensando muito nisso e viver a vida de forma que se sinta melhor.
Bjs

Jana disse...

Concordo com vc em partes, acho que a mulher apaixonada ela fica mais intensa, mais viva, mais facil de demonstrar o que sente, mas eu sou pouco como vc, em relações amorosas "me seguro"

Beijos

simaocireneu disse...

Haja maturidade, hein, Jade?
Quem pode dominar as emoções? E deixar alguém por quem se sente algo, ainda, é dificílimo (quando já não há mais nada, ainda assim é complicado...).
Boa sorte e bons alvitres!
Amplexos afetuosos!

Segredos da Esfinge disse...

Jade,
Somos "abracentas".
Não vou dizer muita coisa não.
Porque para o amor/relacionamento não existe mesmo fórmula certa.
Só penso assim: Temos mais é que demonstrar o que sentimos. Não somos nós que perdemos por demonstrar sentimentos. O outro lado é que perde quando não percebe que está sendo amado/querido.
Beijinho e um abracinho daqueles