sexta-feira, março 16, 2007

"Boi boi boi, boi da cara preta
Pega essa criança
que tem medo de careta"

O jeito mais fácil de segurar a ousadia de uma criança é pelo medo. E o modo mais fácil de amedrontar uma criança é pelo sobrenatural. Afinal de contas a gente não está vendo.

- Cuidado com a mulher da cara grande! - minha mãe dizia. Meu avô sacudiu um pano no basculante do banheiro e gemeu prá me assustar, porque eu estava demorando... fiquei anos e anos sem tomar banho depois que escurecia.

Esse medo, essa sensação de insegurança, acaba nos acompanhando por muito tempo. Depois da morte da minha mãe, morei um ano na casa de uma das milhões de mulheres com quem meu pai viveu, ela tinha dois filhos. Ou seja, casa sempre cheia.

Fui morar sozinha, na casa que era da minha tia-avó, ela só ia lá de 15 em 15 dias. Eu chegava do trabalho e acendia todas as luzes da casa, fechava a porta do quarto que era de minha tia, porque eu tinha medo de um quadro pendurado lá. Sempre dormia com a luz da sala acesa.

Até pouco tempo eu tinha medo do escuro, muitas vezes acordei meu ex-marido prá ir comigo ao banheiro. É irracional, mas é incontrolável. Só melhorei desses medos quando o Gabriel nasceu.

Como eu tive o cuidado de não criá-lo com medo, sempre desminto as lendas urbanas que ainda circulam por aí, apesar dele ter um certo medo, pô ele tem 13 anos né? Mas eu tive que vencer meus medos para ele não sentir medo.

De vez em quando eu sacaneio ele. Essa semana estávamos vendo Supernatural, o episódio era sobre uma garotinha (Maggie) que morreu e ficou presa ao hotel onde moravam.

Quando terminou, já eram onze horas e ele ficou ensebando, querendo ficar acordado. Eu saí da sala e disse: "Vai ficar aí com a Maggie? Ele deu um pulo do sofá e veio atrás de mim. Rimos muito, mas ele dormiu comigo essa noite.

Quanta gente teve medo de ir no banheiro da escola por causa da loira do banheiro? E de andar na beira de estradas, por medo do Palhaço da kombi, ou de ficar na rua até um pouco mais tarde por causa do Velho do saco, ou mesmo de dormir porque tava se cagando de medo do boi da cara preta que vinha lhe pegar?

Hoje li que fizeram uma pesquisa sobre o medo. Foi muito reconfortante saber que os cientistas descobriram que nós podemos sentir medo por causa dos outros... ninguém tinha notado não?


6 comentários:

Segredos da Esfinge disse...

jade,

Nunca....até hoje, deixei que alguém colocasse medo na minha filha, ela nunca dormiu de luz acesa, nuca teve "paninho-cheirinho", sempre dormiu sozinha no quarto dela, uma criança que não tem medo de nada.
Jamais cantei pra ela "Boi da Cara Preta", como é que uma criança pode dormir ouvindo isso???
Minha mãe também nunca permitiu o mesmo comigo e com minhas irmãs. Eu só tive medo da "Loira do banheiro" porque foi um inferno no meu tempo de escola, essa maldita.
Essa do Palhaço é nova pra mim.
Ainda bem que vc superou os medos.
Bjo

Frau Lutz disse...

Realmente, é "flórida" essa história de ficar fazendo medo pra crianca.
As seqüelas sao inevitáveis!

Amei o vídeo com a menininha cantando!

Bom domingo [;)]

Donaella disse...

Mil vezes disse que jamais iria criar meus filhos como minha mãe me criou. Com o tempo e um pouco mais de vivência, remodelei minhas percepções e educaria, sim!Não igual ou nem mesmo parecido, mas o que deu muito certo ou o que considero primordial, ou até mesmo os solilóquios desagradáveis que acabam por passarem despercebidos e novamente repetidos, tudo faz parte do nosso instintinto coletivo.
O medo tem mesmo essa capacidade de limitar, já que não se pode explicar, sua origem, especilamente envolto em teias sobrenaturais!Muito legal esse post, Jade. E eu ri daqui da tal Maggie hehehe...
Bj pra vc
=]

Citadinokane disse...

Jade,
Sempre tive essa preocupação, minha filha criei sem recorrer aos medos que nossos pais e avós recorriam... Bom post.
Vou te linkar também.
Beijos,
Pedro

Fernanda disse...

Sentia muito, mas muito medo quando criança... Era tão grande que, quando acordava no meio da noite, me cobria toda e ficava esperando adormecer sem ver o mundo horrível de fantasmas que estava do lado de fora... No calor eu não conseguia ficar embaixo das cobertas, então ia pra baixo da cama dos meus pais e adormecia no chão... me sentia protegida alí...

Esse medo me acompanhou até o final da adolescência... Hoje em dia só sinto medo se ouvir algo sobre casas assombradas... rs... Fora isso não tenho mais medo de nada sobrenatural...

Sujeito Oculto disse...

Meus pais nunca me incutiram esse tipo de medo e nem inventaram Papai Noel ou coelhinho da páscoa para mim. Meu primeiro medo foi o da morte que, para mim, continua sendo o principal. Mas tenho trauma de filmes sobre gente deformada como "Marcas do Destino".