quarta-feira, abril 16, 2008

As nuances do mau humor

A ansiedade é uma sensação cruel. Faz o tempo se arrastar enquanto espero, desejando uma vida boa, plena e amorosa, mas quando eu vejo o tempo já passou e assim eu perdi 25 anos esperando o que no fundo eu sei que jamais terei.

Cada dia mais frustrada, acho que a minha vida não faz nenhuma diferença alguma nessa bosta desse universo do inferno!!

Nada do que faço material ou espiritualmente consigo reverter em meu benefício e aparentemente não sou desprendida o suficiente para me doar ao próximo sem que o próximo ache que eu lhe cobrarei em dobro o que estou doando.

Se quero recuperar o amor-próprio e a auto-estima que fizeram-me tão bem alguns anos atrás, parece que algo mais forte existe apenas para me arrastar para o início, para o nada, para o tempo em que eu não fui nada, o que parece-me ter sido sempre.

7 comentários:

Anônimo disse...

Oi
Tomei a liberdade de enviar p/ email (cinderela.rj@gmail.com) uma materia s/ Psoríase que li no jornal. Se não me engana a memória já li vc falando no seu blog s/ a doença.

Edna/Recife/Bjsss

Dama de Cinzas disse...

Isso parece mais depressão que ansiedade! Todos nós temos dias em que achamos melhor não termos nascido. Mas é preciso continuar, gostando ou não da vida que levamos. É preciso acreditar e traçar uma meta, seja ela qual for, por mínima que seja. Ajuda a enfrentar esses dias escuros!

Nathália disse...

Tão ruim ficar assim.
E por mais que todas as pessoas digam que não podemos desanimar, e às vezes até nós mesmos nos dizemos isso, o mais difícil é conseguir não ficar com vontade de sumir de vez.

Comigo não adianta, quando tô pra baixo, nada me levanta...

Só espero do fundo do meu coração que você fique bem.

E quanto a máquina, tô resolvendo ainda com a minha mãe. Ela acha que por agora, tá sem espaço na casa pruma máquina. E bem, está mesmo. =/

Beijo!!

LoBnEwSs disse...

=( Pow Patrícia! Sem essa!
É tudo coisa da tua cabeça, você faz diferança pra mim, por exemplo!!!


Abraço..

Ldasq disse...

Sabe que eu me sinto exatamente assim?
Puta que o pariu, não?

Suzi disse...

certa vez li um texto que dizia mais ou menos o seguinte:
não desanime... se todos os seus esforços forem vistos com indiferença, não desanime; também o sol, ao nascer, dá um espetáculo incrível e, mesmo assim, a maioria da platéia continua dormindo...

não desanime, j@de.
permita-se entristecer, permita-se sentir a dor que todos nós, vez por outra, sentimos; mas continue; não sofra mais do que o necessário, não se entristeça demasiadamente; não desanime.
é preciso recomeçar, cada dia, como se fosse mesmo um começo.

um beijo.

Anônimo disse...

p.s: (Só procê saber que eu não errei a dataaa!)eu sei que o niver é amanhã, dia 25. Mas como não sei se vou poder passar por aqui... já deixei registrado. Gosto de você! Mana