terça-feira, janeiro 04, 2011

But I ran out of places and friendly faces
Because I had to be free
I've been to paradise but I've never been to me...

I never been to me
Charlene


O problema é que eu ando triste demais... não só porque meu pai morreu, nem porque um mês depois a irmã caçula dele também. E eu tinha discutido com os dois!! Também não é porque minha neurose faz eu me cagar de medo achando que a próxima serei eu. Não é só por isso...

Nem é porque eu andei feito uma condenada ontem pra resolver coisas e eu sei que uma semana de férias não será tempo suficiente e eu não tenho mais ninguém com quem contar. E minha irmã, embora tente, também não tem tempo.

Ontem eu comprei talheres, porque os meus são de quando eu casei 20 anos atrás. E toalhas de banho bem coloridas pra tentar melhorar a cara dessa casa onde eu não me sinto confortável em ficar, porque eu queria mesmo era jogar tudinho fora e comprar novo!!

E o armário da cozinha caiu e quebrou uns potes de vidro em milhões de pedacinhos!! E eu só durmo às cinco da manhã! E hoje só consegui levantar às três da tarde, porque não queria lidar com o armário que caiu...

Estou me transformando de um jeito que não sei onde vou parar, porque não posso largar a vida, eu tenho um filho pra acabar de criar e preciso trabalhar. Mas não sei se quero melhorar, porque não vejo sentido em ficar alegre de novo, porque eu acho minha vida uma merda!!

O que eu sinto é uma tristeza estranha. Um vazio existencial. Vazio existencial é um jeito bacana de dizer que eu tô fodida!! Parece que eu estou no fim, sem perspectiva, sem sonhos, sem desejos...

Embora não fôssemos tão próximos do tipo que se visita e almoça junto, isso ele fazia com as irmãs dele, eu sinto falta de quando meu pai estava por aqui, porque de vez em quando ele ia ligar e dizer: "bas tarde, moça, tudo bem?"

E eu sinto falta do que não vou ter daqui pra frente. Não vou ter ninguém pra me visitar e almoçar junto... nem amigos, nem parceiros, já que eu não sei manter... sei cativar, mas não sei manter, porque não sou boa em relacionamentos...

6 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Onde eu assino embaixo?

Crise existencial braba, daquelas que você acha que todas as suas possíveis qualidades são defeitos e que ninguém te quer nem para horas alegres... Assim que ando...

Beijocas

VaneZa disse...

Ih! Jade... foi como eu disse a Dama dia desses (acho que ela deve ter te contado por que você estava por lá)... acho que a bruxa tá solta. Também tenho achado minha a vida uma merda e, o que é pior, não encontro saída para a minha situação. A minha ultima tacada agora foi a terapia e me apegar mais a Deus (é... eu o abandonei)... e vou ver no que via dar. Espero que daqui a um ano eu você e a Dama tenhamos histórias mais emocionantes para contar.

BeijoZzz

André Etê disse...

J@aaaaaaaaade do meu coração...
Sai dessa, mulher...
Olha, não quero psicanalizar e nem prescrever uma solução pros seus problemas, longe disso.
Vou falar do que eu também já senti:
Já senti esse turbilhão de vazio, angústia e solidão e como tudo na vida, passou.
Hj ainda sinto de quando em vez akele sentimento surgindo, de que eu não valho o sal que como, que não mereço a vida que tenho e tudo mais... Mas me esforço e mudo de canal, lembro do que aprendi na terapia e na sala de Neuróticos Anônimos e vivo um dia de cada vez, um minuto de cada vez se for preciso.
Um beijo no coração de quem nunca te viu, mas sempre gostou de você desde a primeira vez que te leu.
E feliz ano todo!

Monica™ disse...

Não sei muito bem o q dizer, mesmo pq acredito q nessas horas não há palavras q consigam nos animar. Já passei por fase parecida, só q eu dormia as 3 e acordava as 5 e meia pra trabalhar, aliás, foi o trabalho q me segurou.

A falta q vc sente do seu pai será abrandada com o tempo, seu coração irá se acalmar aos poucos mas a saudade sempre estará presente.

Não desista, vc tem todo direito de ficar mal, todos temos, mas nunca deixe de acreditar pq, embora seja lugar comum afirmar isso, tudo passa, e passa mesmo !!!

Beijo gde e desejos de q a paz te encontre logo. E permaneça.

Suzi disse...

Ô, J@de,
é tipo um nó no coração, um choro preso na garganta que não deixa a gente nem engolir direito, né?
Pois tem jeito.
Li os outros comentários. Gostei, em especial, de algumas coisas: redescobrir a amizade com Deus; retomar de onde parou, ou se apresentar a Ele, caso nunca tenham sido realmente amigos. E viver um dia de cada vez.
Estabelecer prioridades. Metas atingíveis para cada dia, para que o sabor da vitória recheie sua boca e descole um sorriso.
Hoje meu irmão contou que a professora do meu sobrinho de oito anos pediu que cada um escrevesse um pedido pra Deus e colocasse num balão. Depois, ela colocou gás e eles soltaram os balões ao ar livre. Você sabe qual foi o pedido do meu sobrinho? Que Deus o ajudasse a comer menos açúcar.
Ai, J@de, se Deus pode se preocupar com pedidos assim, de uma criança de 8 anos, o que dirá das suas súplicas?!
Acredite. Abra seu coração e depois largue a sua vida nas mãos dEle.
Não é simpatia. Não é doideira. É a saída!
Um beijo, moça.
;)

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Jade querida, que bom receber um comentári seu. Fiquei muito feliz!

Sinto muito pelo seu pai. Mesmo não sendo próximos como você disse, imagino sua tristeza.

Clame a Deus, só Ele sabe o que você sente de verdade e só Ele poderá ajudá-la.

Um beijo!