segunda-feira, março 26, 2007

Não é aquilo que entra pela boca que torna o homem impuro
mas o que sai da boca é que torna o homem impuro.
(Mt. 15,11)

Eu não ia mais falar. Mas preciso botar para fora, senão vou começar a achar que estou ficando uma louca com mania de perseguição. Tá grande, quem quiser leia, quem não quiser, não leia.

Foi assim: ele se dizia meu amigo, ele e a mulher me chamaram para ser madrinha do casamento deles. Aí do nada, ele cisma que quer me comer e eu, de uma forma educada, digo que não rola.

Expliquei que não rola porque ele e a mulher são meus amigos, porque nunca, jamais, em tempo algum, eu começaria um relacionamento dessa forma, mesmo que num universo paralelo eu tivesse tido algum interesse nele.

E aí eu comecei a ficar triste com ele, porque ele subestimou minha inteligência dizendo que queria uma relação comigo, porque que sou maravilhosa e ele (só ele nesse mundo) vê isso, que ele fica puto porque eu gosto ainda do ex-ficante que não tá nem aí para mim, que largaria a mulher prá viver comigo, e que não era apenas sexo.

Pois bem, desabafei no blog e pronto, desencanei do assunto, depois da conversa, dei o caso como encerrado. Continuei passando pelo bar, que fica na mesma calçada, a vinte metros do meu apartamento. E todo dia, lá estava ele, só ou com a esposa sempre me olhando com aquela cara de babaca quando tá a fim... comecei a ficar incomodada.

Ele comemorou o aniversário no bar. Brincando com o irmão dele, como sempre faço, disse que, se ele perdesse o ônibus, dormiria comigo, o nojento passou por trás de mim, segurou minha cintura e disse: "Meu irmão não tem essa pegada, só eu que tenho." Resolvi ir embora. Um minuto depois ele volta e diz: "Você não pode gostar do meu irmão. Você gosta de homens altos e ele é da sua altura. Você tem que ficar é comigo que sou grandão."

Aí eu pensei, ai caralho, já vi que não adiantou nada ter falado, esse animal é daqueles que acha que não quer dizer talvez. Vou ter que sumir dessa merda mesmo!!

Uma das conhecidas lá do bar, que lia o blog, perguntou se era dele que eu tinha falado, porque ela e outras mulheres estavam também incomodadas com o comportamento dele, encarando todas as mulheres, e os maridos já estavam também ficando putos.

Ele já era meio besta, depois que voltou a malhar e emagreceu, está se achando a última batata do pacotinho, do jeitinho que a Fernanda disse nesse post. Até aí tudo bem, ninguém tem nada com isso, deixa o cara se achar né?

Mas a besta aqui, confiando nela, porque só eu fui cantada, mas todas estavam se sentindo invadidas, confirmei. E foi aí que a merda começou, porque como bem disse meu primo: "Se você que é a dona do segredo não guardou, quer que os outros guardem?"

O disse-me-disse em torno do cara continuou, e meu nome acabou saindo numa conversa justo com o ex-ficante. Tive raiva, muita raiva!! Dessa moça, do ficante, do cara que me cantou, da mulher dele, tive raiva do mundo inteiro!!

Resolvi cortar todos os laços virtuais com quem me conhece. Se ela não lesse meu blog, não teria me perguntado, eu não teria confirmado, e se ela comentasse comigo eu ouviria e guardaria, como faço com tudo que ouço.

Decidi também dar um tempo do grupo. Passei a semana passando por um caminho mais longo para entrar na minha rua pelo outro lado.

Quando ela viu que eu cancelei orkut, msn e blog, assuntou e soube que eu estava chateada com tudo. Procurou-me e pediu desculpas, disse que não queria me magoar, que incluiu meu nome na conversa com o intuito de enciumar o ficante.

Eu desculpei, mas disse que a culpa foi minha por ter contado a ela (o segredo era meu né?). E o ficante não quer porra nenhuma comigo, por acaso vai sentir ciúme? E eu tenho quantos anos para ainda fazer isso? Com 15 anos eu não fazia, imaginem agora.

Eles, inclusive Armando não se conseguiram entender, porque eu não quero mais estar no bar nem em qualquer reunião que o casal esteja. Acham que eu estou agindo mal, que não deveria me afastar, que eu tinha que desencanar, que me afastando eu os estou privando da minha companhia.

Será que ninguém entende o que é sentimento de amizade? Para mim, ele traiu minha amizade da pior maneira possível, ele me desrespeitou. Traiu minha amizade de maneira suja e dissimulada, simplesmente porque pensou com a cabeça do pau.

Se eu continuar freqüentando, ele vai insistir, como fez no aniversário. Eu demorei muito para recuperar minha auto-estima, prá me deixar desrespeitar e continuar sendo assediada por ele e ainda correr o risco de ser ofendida, ultrajada, e xingada de piranha, galinha e ladrona de marido dos outros, porque em algum momento, a mulher dele vai perceber.

Não há necessidade de passar por isso apenas para alimentar o egoísmo de pessoas que saem prá outras bandas e quando terminam a noite no bar de Neuza querem me encontrar. Quem quiser que me chame prá outras bandas ué!!

9 comentários:

Fernanda disse...

Eu tenho opiniões formadas sobre vários pontos dessa questão... Mas todas vc já sabe, porque debatemos pelo msn...

Sobre esse cara, nem vale a pena comentar, um homem que não respeita a mulher com quem vai casar, vai respeitar que mulher?

Vc deve seguir o que o seus sentimentos ditam, se não está se sentindo bem em companhia do casal, melhor evitar, pelo menos por um tempo... bjs

Solange A. disse...

Ainda bem que você saiu desse ninho de cobras pela tangente. Porque ninguém merece criar uma gastrite por causa da trairagem de terceiros.
E viva a vida sem pepto bismol!

Beto disse...

Olha, o começo da história era Nelson Rodrigues puro. Mas depois ao ler o resto, vi que a coisa realmente está te incomodando. Bem, não vou dar opinião por que cada um tem a sua. Mas não se sinta mal por causa da situação. Ele não te subestimou, apenas de desejou. Só que pelo visto o cara não tem filtro e nenhuma ética. E isso faz dele um lixo, não vc.
É isso...

PS: estava devendo um comentário aqui no endereço novo, foi mal a demora!

PS2: saudações cruzmaltinas...rs

dela disse...

É Sol, antes só do que mal acompanhada né?
Beijos linda!!

dela disse...

Beto parece mesmo um conto rodrigueano né? hehehehe!!
Você tem razão, a única culpa que sinto agora foi de ter aberto a minha boca grande e dado margem a isso tudo. Ele que se dane né?
É, saudações aceitas... fazer o que, ora a gente ganha, ora a gente perde!! hehehehe!!

dela disse...

Fernanda, esse assunto tinha que ir pro post, prá acabar de uma vez, e eu só tenho a agradecer a você pela força, viu?
Beijos!!

Suzi disse...

Que situação, hein!
:o|

citadinokane disse...

Jade,
A abordagem dada pelo Beto foi bastante pertinente.
Engraçado, no meu tempo de faculdade as minhas melhores amizades eram mulheres e todas amigas da minha "cat", e sempre tive, como diz o Beto, muita ética no relacionamento com elas. Considero a amizade um tesouro sagrado, raridade em nossos dias, hoje sempre nos encontramos para comemorarmos tempo de formatura da turma.
Foi bom teres desabafado.
Um forte abraço,
Pedro

J@de disse...

Pedro, não esperaria outra coisa de vc, ou do Beto, também tenho amigos de verdade, que foram amigos do meu ex-marido e continuam meus amigos.
Tem gente que presta e que não presta né?
Beijos!!