segunda-feira, julho 23, 2007

Bate bola na rede!!

Raramente leio blogs masculinos. Alguns famosões da rede são interessantes culturalmente, e prendem-me um pouco. Outros são insuportáveis e arrogantes porque o cara publicou um livrinho, se acha José Saramago e só quer o assédio do mundo, só isso!! O poder, de fato aprodrece o ser humano...

Uns não me prendem porque são de poesia e eu não gosto, (mas que parece que homem só é poético em blog, música, filme e novela, isso parece!!), ou "fake", ou cópia/colagem, ou jornalísticos. Ou xixi coco demais!! Dois ou três posts e não volto!!

Raramente posto sobre política, atualidades, grandes tragédias ou conquistas e tal, não porque sou alienada, mas porque há gente que faz isso muitíssimo melhor que eu!!

Gosto é de escrever sobre pensamentos, descobertas, situações!! Descobri dois blogs masculinos que me prenderam mesmo, porque, assim como eu, falam sobre pensamentos, descobertas e situações!!

Às vezes comento lá, me inspiro, e posto aqui!! Já pedi o Muneo em namoro, e sei que o Straits adora o sotaque carioca!! Uma pena que os garotos são muito novos e vivem longe...

Brincadeiras à parte, gosto porque eles me estimulam, são interessantes, têm pensamentos fora do medíocre, sem preconceitos e hipocrisia, e isso me atrai em qualquer blog!! E gosto do bom humor dos posts, parece um papo de bar!!

Eu tinha um complemento a esse post, mas vai ficar prá outro dia, porque eu preciso elaborar melhor e, prometido é devido, está aí a Canção dos homens!!

Leiam tudinho, meninos e meninas, copiem, e se puderem, comprem este livro e também Perdas e Ganhos, aproveitem a sabedoria dessa mulher!!

Abram as mentes, para ver o/a parceiro/a como um complemento e nunca como inimigo/a na eterna, triste e falsa guerra dos sexos!!

Canção dos Homens
(Lya Luft, in "Pensar é Transgredir", Ed. Record, 2004)

Que quando chego do trabalho ela largue por um instante o que estiver fazendo - filho, panela ou computador - e venha me dar um beijo como os de antigamente.
Que quando nos sentarmos à mesa para jantar ela não desfie a ladainha dos seus dissabores domésticos.
E se for uma profissional, que divida comigo o tempo de comentarmos nosso dia.
Que se estou cansado demais para fazer amor, ela não ironize nem diga que "até que durou muito" o meu desejo ou potência.
Que quando quero fazer amor ela não se recuse demasiadas vezes, nem fique impaciente ou rígida, mas cálida como foi anos atrás.
Que não tire nosso bebê dos meus braços dizendo que homem não tem jeito pra isso, ou que não sei segurar a cabecinha dele, mas me ensine docemente se eu não souber.
Que ela nunca se interponha entre mim e as crianças, mas sirva de ponte entre nós quando me distancio ou me distraio demais.
Que ela não me humilhe porque estou ficando calvo ou barrigudo, nem comente nossas intimidades com as amigas, como tantas mulheres fazem.
Que quando conto uma piada para ela ou na frente de outros, ela não faça um gesto de enfado dizendo "Essa você já me contou umas mil vezes.
Que ela consiga perceber quando estou preocupado com trabalho, e seja calmamente carinhosa, sem me pressionar para relatar tudo, nem suspeitar de que já não gosto dela.
Que quando preciso ficar um pouco quieto ela não insista o tempo todo para que eu fale ou a escute, como se silêncio fosse falta de amor.
Que quando estou com pouco dinheiro ela não me acuse de ter desperdiçado com bobagens em lugar de prover minha família.
Que quando eu saio para o trabalho de manhã ela se despeça com alegria, sabendo que mesmo de longe eu continuo pensando nela.
Que quando estou trabalhando ela não telefone a toda hora para cobrar alguma coisa que esqueci de fazer ou não tive tempo.
Que não se insinue com minha secretária ou colega para descobrir se tenho amante.
Que com ela eu também possa ter momentos de fraqueza e de ternura, me desarmar, me desnudar de alma, sem medo de ser criticado ou censurado: que ela seja minha parceira, não minha dependente nem meu juiz.
Que cuide um pouco de mim como minha mulher, mas não como se eu fosse uma criança tola e ela a mãe, a mãe onipotente, que não me transforme em filho.
Que mesmo com o tempo, os trabalhos, os sofrimentos e o peso do cotidiano, ela não perca o jeito terno e divertido que tanto me encantou quando a vi pela primeira vez.
Que eu não sinta que me tornei desinteressante ou banal para ela, como se só os filhos e as vizinhas merecessem sua atenção e alegria.
E que se erro, falho, esqueço, me distancio, me fecho demais, ou a machuco consciente ou inconscientemente, ela saiba me chamar de volta com aquela ternura que só nela eu descobri, e desejei que não se perdesse nunca, mas me contagiasse e me tornasse mais feliz, menos solitário, e muito mais humano.

12 comentários:

Sall disse...

Olá, moça!
Valeu pela visita no meu blog. Tbm gostei do seu espaço e vou adicionar nos meus links. Quanto a sua simpatia pela Lya Luft, concordo plenamente, tbm sou fã dela. Vamos trocando figurinhas. Bjs!
www.blogdosall.wordpress.com
.

Cin disse...

Fiquei curiosa pra conhecer os moços...acho que vou passar lá agora.
Bjos flor!

drika disse...

verdade! muito importante essa canção.

Muneo disse...

Jade, você realmente me emocionou com esses dois textos Canção dos homens e Canção das mulheres. Sei que não é de sua autoria, mas obrigado (acho que todos que passam aqui estão agradecidos) por dividir esses textos com agente!

Muito obrigado também por esse post homenagem!

Sobre os blogs fico pensando: Se alguém quer saber do Pan, vai no Terra, UOL ou IG. Então pra que ter um blog que só repete uma noticia?

Procuro sempre criar meus textos, mesmo que não tenha tanta qualidade, ou citar alguma coisa que li ou vi que achei interessante.

Talvez por isso gosto tanto de crônicas, bem conversa de bar mesmo!

Estamos no mesmo barco! =)
Bjm e espero que tenha conseguido dormir! uahahah!

°Nathália° disse...

Acho que volta e meia postar sobre algum assunto de cunho político, atual, fatos ocorridos e que abalaram o mundo e tal é válido, mas se for sempre, seu blog passa de pessoal para jornalístico...

Acho pensamentos e descobertas pessoais bem mais interessantes, sinceramente...

E, céus... essas canções são perfeitas (Copiando e colando de novo pra minha pasta? Lóóóógico que sim!)

Beijos!

Dani disse...

Olá, não sei se vc conhece o blog do Meo (espanacoes.wordpress.com). Um blog masculino o qual me divirto muito...vale a pena visitar.
Outro que ia indicar é o Blog do Sall, mas vi que ele já fez a propaganda, rs!
beijos

J@de disse...

Sall, um prazer, vc já tá linkado!!

Cin, vai mesmo que são bons, os dois!!

Drika, as duas crônicas calam fundo né?

Muneo, vc merece, já comentei de novo lá no seu post!! hehehe!!

Nathália, é isso que eu faço, vez ou outra até comento, mas não sempre, senão não tem graça e eu nem levo jeito mesmo!! Compra os livros garota, vc vai amar!!

Dani, já tô lendo o Espanações e tô gostando, o Sall eu já tinha descoberto!! hehehe!!

Beijos prá todos!!

Sujeito Oculto disse...

Oi, J@de! Parece que o meu é um dos que você gostava de ler...

Saudade.

Bruno Costa disse...

Po, valeu pelo elogio. Vou anotar o link do teu blog pra passar aqui mais vezes, com calma pra ler tudo direitinho. :D

Rubina disse...

Jade

E foi nos seus links que descobri um blogue masculino delicioso, do Ácido Poético!! Beijão querida

Straits disse...

Oi!! Valeu pela menção carioca! =)

Ótima música!

Suzi disse...

já anotei. semana que vem vou espiar os moços.

tenho "perdas e ganhos" da lya luft. delícia!

teu blog é bom porque é a tua cara (eu conheço a tua cara sem nunca ter te visto pessoalmente, percebe como teu blog é bom?)

também não tenho saco para blogs monotemáticos. especialmente se são homens de chocolate derretido; e olha que eu amo os homens e amo os chocolates. rs*

de saída pro futsal, do pan, volto com calma quando "essa energia" acabar.
;o)