quarta-feira, julho 18, 2007

J@de, vale a pena isso?

A pergunta e o restante do comentário do Muneo: (dúvida estritamente pessoal) Não vale a pena se livrar de vez do passado e tentar uma vida nova? O ditado popular diz que pau que nasce torto morre torto. Então, ficar insistindo uma relação com uma pessoa, que outrora, não deu certo, vale a pena? Gostaria de saber sua opinião... Bjo., estão martelando na minha cabeça desde de manhã...

Como esse moço é um daqueles homens que estão alguns degraus acima da maioria na escada da maturidade, um comentário desses, vindo dele, só podia me fazer pensar...

Tive poucos namoros firmes. Desde que comecei a gostar de meninos eu paquerava, flertava, desejava e me apaixonava, mas quase nunca rolava o namoro. Muitas vezes fiquei, rolou beijos mas só...

Como sempre destoei mesmo da maioria das mulheres, nunca sabia como me comportar. Se pega no pé é chata, se não pega não gosta, se dá é fácil, se não dá tá fazendo jogo duro... ah eu heim!!

Comigo pau é pau, pedra é pedra!! Se eu quero, se gosto, se estou apaixonada, se amo, seja o que for, eu vou lá e digo. Se quero papaparicar, eu paparico, se quero o retorno eu peço!!

Eu cresci solta, aprendendo a depender apenas de mim, não gosto de gente dependente, não é à toa que tenho um gato em vez de cachorro...

Casei-me e o casamento terminou porque, à medida que a relação caminhava e surgiam maiores responsabilidades, eu assumia, meu marido fugia. Não há sentimento que resista quando você tem que ser mãe e tutora de marmanjo.

Mas sempre terminei ou desisti depois de gastar todos os recursos que eu achei que ajudariam. Demoro, demoro, demoro, demoro e demoro a tomar a atitude, como aconteceu com o pai do meu filho, com Lee e com o ficante... mas quando eu desisto, já era!!

Não sou perfeita, nem exigente, fiz terapia três anos prá me equilibrar, amadurecer emocionalmente, resolver traumas e tornar-me mais "relacionável", porque ninguém tem culpa se uma relação termina, cada um só pode ir até onde pode, e eu precisava aprender a não exigir o que não podem me dar.

Falei hoje com a amiga Esfinge que não sei até que ponto meu comportamento foi legal até hoje. Creio que eu perco muito a credibilidade e torno-me manipulável porque sempre dou mais uma chance e volto atrás.

Ponho-me sempre disponível também e isso é complicado, porque, por um lado eu penso que estou respeitando o cara (não ligando, não indo na casa sem avisar, não enchendo a caixa de email ou chamando mil vezes no msn) por outro, pode parecer pouca atenção. Nunca se sabe a medida que vai agradar a pessoa da vez.

Mas eu sou assim, não gosto de invadir a vida de ninguém e nem gosto que invadam a minha vida. Acho que agir assim é respeitar o outro, e se há algo errado, o melhor é falar!!

Isto posto, vamos a Lobo Mau. Conhecemo-nos numa sala de bate-papo, ele com 30 e eu com 35, nos envolvemos num namoro agradável e desencanado, mas ele estava um pouco aquém na maturidade, descobertas, quebra de tabus e preconceitos suburbanos e de criação, e isso fez diferença...

Por exemplo, eu não pretendia casar nem ter mais filhos, mas nada estava escrito em pedra, tanto é que acabei morando com Lee dois anos depois.

Durou seis meses, eu começava a me apaixonar e sua empolgação diminuía porque ele conheceu uma amiga da prima que, diferente de mim, foi grudando, se chegando, e ficando amiga da mãe, e dormindo na casa dele, até que foi morar lá...

Foi uma relação muito marcante para nós dois, porque temos uma afinidade amigável e sexual imensa, até nos assustamos no começo. Ainda sentimos essa atração um pelo outro até hoje!! A tensão sexual sempre fez-se presente.

Ele roda prá lá, roda prá cá e me procura. Eu rodo prá lá, rodo prá cá e o procuro. Pode ser apenas pelo sexo que é bom, mas o que eu posso dizer, eu também gosto, e muito de trepar com ele... mas a realidade é que eu sempre tive aquela sensação de que deixamos de viver alguma coisa.

Mas respondendo ao meu amigo, não penso em voltar a ter uma relação com ele, seria uma situação inédita para mim, então não posso afirmar nada.

Porém sinto falta do amigo, ele está precisando de apoio, está se separando, a filha dele, com 3 anos, está nesse nomento na mesa de cirurgia então, eu sinto que o procurei na hora certa.

Mas depois disso tudo meu amigo, se rolar um sexo amigável, é ruim de eu deixar passar viu??

12 comentários:

Anônimo disse...

Isso mesmo. Carpe Diem! Um dia de cada vez. E com quem a gente já conhece é melhor, sem surpresas, e mais seguro! afinal de contas.... é isso. Aproveite! A gente não pode deixar só pra terra comer, oras.... hehehe
espia como estou disciplinada! comentando! Porque é você e eu te gosto de graça. beijos. Mana

Nathália disse...

Eu me idendifico muito com seu jeito de ser.
Não consigo ficar no pé, mandando e-mail, chamando no MSN 25 mil vezes só porque ele demora 2 segundos pra me responder, mandando SMS todo santo dia... não dá!!

Com certeza alguns podem achar que isso é falta de amor, falta de cuidado, mas eu tambem vejo como respeito ao espaço do outro. Acredito que seja invasão demais ficar sempre em cima. Aliás, é mais do que invasão: é um pé no saco mesmo!

E acho mesmo que você tá certa: se rola atração forte, principalmente sexual, se acontecer tá ótimo. Não deixa passar mesmo não.

Beijos!

Cin disse...

kkkkkkkkkkkk toda um reflexão e um desfecho surpreendente e delicioso.
Eu tbém não deixava passar não viu? rs
Agora vou comentar sobre o post abaixo que eu ainda não tinha visto. Se eu te contar que tenho uma gata quase irma gêmea da Tigrinha vc acredita? ela chama Brigite, os mesmos olhos verdes,pelagem cinza, e virgem é claro, como toda gata de familia. Se eu já era sua fã agora fiquei + ainda, só pessoas com uma personalidade forte e livre conseguem entender e amar esses bichinhos adoráveis.
Bjão!

drika disse...

huuuum e por que não?!?!?!
ñ precisa ser um relacionamento, pode ser uma amizadde com benefícios, ora.
é muito bom "atualizar" com quem se tem afinidades. e a amizade sempre viva!

obrigada pelos comentários! adorei!
beijo.

Ácido Poético disse...

Vc tá sumida, moça. Ou estamos?

Beijo
Brunø

Straits disse...

OLha Jade, sexo amigável é sempre muito bem vindo. O que não pode rolar é depressão pós-sexo...

Muneo disse...

Nossa Jade, to até sem graça dos seus elogios! Agradeço de coração e faço o mesmo com você. Por ser uma pessoa resolvida (não que não tenha conflitos), mas que sabe por as coisas de forma clara é que gosto estar aqui! Perguntei pra pessoa certa sobre uma coisa(o seu post também foi sincronizado com meu pensamento, kkk) que precisava de uma opinião madura! (agora vamos parar de rasgação de seda né!)


"Comigo pau é pau, pedra é pedra!! Se eu quero, se gosto, se estou apaixonada, se amo, seja o que for, eu vou lá e digo."

Sempre fui de afirmar que a melhor cantada ou aproximação, como queira, era chegar e dizer o que sente. Mas ultimamente tenho pensado se isso realmente é válido. As vezes isso acaba assustando dependendo da pessoa.

"cada um só pode ir até onde pode, e eu precisava aprender a não exigir o que não podem me dar."

Isso já valeu minha pergunta! Eu acho que tenho que melhorar nisso. Sei lá, acho que sem querer, acabo exigindo muito das pessoas! Ótima reflexão!

Meu momento de reflexão
Após ler e reler o seu post, pude concluir: deixar rolar né!
Como minha área é exatas, além do fato de ser homem, gosto das coisas muito as claras. Definidas!
E na vida, nem sempre tudo pode ser assim definido. Se a sua felicidade for ao lado de um ex ou de um novo amor, quem sabe? Deus? As pessoas? Ninguém sabe!

Muitas vezes agente fecha uma porta(que da na felicidade), só por causa da cabeça-durisse(sic) da gente mesmo! A pergunta era direcionada sua vida, mas foi ótimo pra eu refletir sobre a minha!

Bjm

minds disse...

Adorei o seu post...
Vim ca parar atraces do blog do Óscar... e estou a gostar...

bj e bom fim de semana

ps- eu volto!!!lol

B. disse...

O Muneo anda com tempo demais pra escrever J@de, já viu os testamentos, né? risos...

Amei o qe o Straits falou e concordo, só não pode rolar a tal depressão pós sexo.

Sobre não saber ao certo a medida da paparicação alheia, é complicado. Tb sou assim, igualzinha, odeio ser grudenta, mas tem car que diz que odeia, mas adora, fazer o que?

Ir vivendo, né? Beijos!

Segredos da Esfinge disse...

KKK
Vc é maluca mesmo.
A minha opnião já dei.
Só não há jeito para a morte.
Esse negócio de: "pau de nasce torto, morre torto", acho que não tem nada disse, basta observar ~como as coisas caminham, caso estejam tortas, basta um bom calço e lá que o "pau que era torto" toma novo rumo, porque a pior coisa pe ver algo se entortar e nçao fazer nada para calçar e mudar a forma das coisas.
Bota um "calço" e com jeito tudo fica diferent, só depende de você a forma como vai "calçar" a vida.
Beijos

Dani disse...

Sou muito parecida! Diria, idêntica a vc...rs
Gosto de viver intensamente tudo o que tenho vontade. Boca aberta ao extremo, rsrs....E se ainda rola alguma atração, mesmo sexual, eu acredito que ainda há algo pendente na relação. Pode ser que essa pendência seja só sua ou só dele, ou (no seu caso) de ambos. O importante é viver tudo, até o fim, até esgotar, até tirar a última gota...para saber o momento certo de dizer NÃO, ACABOU, É O FIM! Só assim, podemos caminhar e partir para outra sem frustrações maiores. Desculpe a intromissão, rsrsrs...mas é isso que eu acho! e que vc tbém acha, vai...rsrs!
beijos e sorte

Osc@r Luiz disse...

Eita!
Essa é a J@de...
É por isso que eu gosto de vir aqui... Hehe!
Beijos querida!