domingo, agosto 10, 2008

Dicas pessimistas para quem acredita em longas relações.

Ando muito triste, por isso não posto. Fui mesmo demitida. E todo o recomeço sempre me amedrontou um pouco.

Tenho desejos que com essa demissão, vão se realizar, mas temo me enrolar, porque ser sozinha para tudo é uma merda maior do que muita gente imagina!! A gente tem que jogar nas onze!!

Sair não me deixa triste, pelo contrário. Há relações que passam da hora de acabar, porque tem gente se arrasta! No trabalho, no casamento, até numa cerveja no bar da esquina. Enrola e nunca toma uma decisão. Falta coragem, caráter, ou apenas atitude porque é melhor se acomodar.
Há quem fique preso numa relação porque a pessoa lhe serve de alguma forma, ou porque prefere achar que a pessoa vai sumir ou a situação terminar por si, para não sentir-se culpado por terminar!!
Eu penso assim, não está mais a fim, acaba logo né? Eu tento sempre usar essa filosofia, embora já tivesse passado da minha hora na empresa, o dinheiro era bom, ou seja, para mim o patrão tinha serventia. Mas a balança já estava desequilibrada.
Há tempos o patrão desconta tudo em mim. Se fica doente, se perde dinheiro, se briga com a mulher, quando morreu sua mãe, todos os seus medos e frustrações. Sempre deixei, porque secretária sempre segura um pouco a onda do patrão.
Ele queria me mandar embora, eu queria sair e ninguém tomava a atitude. Quando o dinheiro entra fácil a gente vai contornando tudo. Há três anos a empresa perdeu muitos negócios e o faturamento caiu a quase zero!
E a coisa foi piorando, ele estava sendo o mais desprezível possível, me xingou, falou muita besteira e misturou demais a relação profissional com a relação pessoal que ele pensa que tem com os funcionários dele.

Eu que já estava no limite comecei a rebater e ele dizia que eu parecia a mulher dele, mostrando claramente a transferência.
Depois da demissão de um dos funcionários eu pressenti a minha vez! Na última semana de julho, ele não olhava para minha cara, quando eu o apertei pedindo uma decisão, temendo por mim e pelo tesoureiro, ele disse que não sabia, não sabia, não sabia... e que eu era como uma filha para ele.

Bem, eu que não me iludo à toa sei que se eu fosse como filha, teria um apartamento dado por ele como ele deu aos filhos, me poupe!!

Avisei que iria procurar emprego. Mostrando-se extremamente aliviado, ele disse que mesmo que eu saísse, quando entrasse dinheiro na empresa, ele me chamaria de volta!!

Usando da minha franqueza habitual, eu disse que na hora em que eu saísse de lá, não voltaria mais. Eu heim, e eu lá sou pele de pica prá ficar indo e voltando? A estabilidade que de certa forma existia na empresa (embora não fosse legal), já tinha acabado quando ele começou a me tratar mal.

E o frouxo não me definiu nada, mas disse ao sócio e outros parceiros que tudo estava resolvido comigo. Como ele não tinha culhão para falar, mais uma vez em minha vida dei fim numa relação acabada.

Na manhã do dia 30, ele chegou e viu minhas coisas dentro de uma caixa (bem no estilo filme americano sabem?) e me ouviu falando com uma amiga que estava sendo demitida. Ele então não teve outra alternativa a não ser me chamar e conversar.

Perguntou se eu queria uma carta de referência, disse que queria que eu cumprisse aviso prévio. E disse: "vou ajudar a pagar a escola do seu filho, afinal de contas você não pode tirar ele da escola agora, né?" Apenas isso. Nem um "obrigado cachorra, por 22 anos de dedicação". Da mesma forma que aconteceu com o outro funcionário que também era como um filho para ele!!

O sócio dele, puto com a situação, brigou com ele e fez ele me chamar novamente para combinar que após o aviso, me pagaria metade do meu salário para que eu fosse duas vezes por semana ao escritório, ajudar na arrumação dos arquivos para a mudança de sala.

Na segunda-feira seguinte, conversei com a filha dele que vai precisar de uma secretária em novembro. "Timing" perfeito, pensei. Dois meses de descanso para quem não tira férias há 10 anos e um emprego interessante.

No dia seguinte, fiz uma outra entrevista, e como usei as duas horas do meu aviso-prévio para isso, fiquei sabendo que ele, aos berros com o tesoureiro disse que era um abuso meu, afinal ele já estava me arrumando um emprego, estava me ajudando, que eu não tinha nada que chegar tarde!!

Não mereço ser tratada como uma pedinte pela pessoa para a qual dediquei mais de 10 horas dos meus dias durante 22 anos. Peço a Deus e ao Reiki para arrumar logo outro emprego, porque não vou trabalhar com a filha dele.

Uns diriam, "ora, bota o orgulho de lado", mas quem consegue continuar uma relação que termina lhe deixando apenas mágoa, ressentimento, auto-estima abalada, amor próprio pisoteado e orgulho ferido?

Ou alguém aí imagina que ele não vai jogar esse emprego na minha cara se eu disser não a qualquer pedido dele, como ensinar coisas do computador, ou redigir alguma carta em inglês (porque não restou nenhum funcionário que fale inglês)?

Obrigada mas não, obrigada!! Eu sei a profissional que sou e apesar da idade e da falta do curso superior, dou conta do recado e o que não falta nesse mundo é emprego para quem quer trabalhar!!

Vou me arrastar nesse aviso-prévio do inferno pensando que poderia estar ganhando dinheiro de outras formas, em vez de estar presa! Mas o tempo de Papai do Céu é diferente do meu e só ele e o universo sabem a hora certa para mim.

7 comentários:

Dama de Cinzas disse...

De relações em crises eu bem sei, mas a minha não é de trabalho...

Vc vai conseguir passar por isso, não só porque é forte, mas porque precisa passar, a vida não te deu outra escolha...

Torço muito por ti!

Beijos

Srta. Rosa disse...

Ai querida, fé em Deus que depois de um tempo tudo se ajeita.
A torcida aqui continua ativa.

Bezzos,

Marcelo Martins disse...

Um post desabafo...Gosto muito de fazer isso também.
Escrever nos "alivia" de alguma forma, não?
Isso de ser demitido é algo péssimo, mas como diria o meu pai "Há males que vem para o bem".
Bem clichê, eu sei, mas uma verdade inquestionável.

Beijinhos

Emília disse...

Querida, estou também torcendo para que logo, logo, tudo fique certo para você, que bem merece!!Vai um abraço grande de além-mar, aqui. Nessa hora, dá geito abraço amigo, não é? Se bem que abraço não paga as contas rsrsrs.

Paulo R Diesel disse...

A mudança já se iniciou.
O desabafo no blog, a procura de outro emprego, a preservação da auto estima.
Sorte, tô na torcida.

Beijo

Beija-Flor disse...

Oi, Nega!
Que merda tudo isso, hj não tenho palavrinhas "bunitinhas" pra dizer, sei bem o que é trabalhar pra cuidar de filho, pra viver com dignidade. só tem mesmo um jeito: GRUDAR EM DEUS, na fé que nos resta, mesmo que abalada.
Ao final vai dar certo, tem que dar certo.
Bj

Suzi disse...

Vou repetir: quem já leu posts antigos e sabe como você se dedicava, nesse emprego, como era essencial, lá, quase não acredita no rumo que as coisas tomaram.
É uma cópia de certas relações da vida, mesmo.
Que Deus guie os teus passos, J@de.
Um beijo!