segunda-feira, agosto 08, 2011

Papo de corredor: Como seria sua vida se suas escolhas tivessem sido diferentes?

Quando eu fico sem dinheiro eu fico puta da vida!! Deprimida, mau humorada, sem vontade de nada!!

Mas eu não sou dessas que fica com cara de cão, rosnando pra quem passa, ao contrário, no dia-a-dia eu até sou uma pessoa legal.

Desde que minha mãe morreu eu nunca pude contar com ninguém, marido, pai, famíliares em geral. Minha ex-sogra sempre quebra uns galhos, mas não é uma constante e eu não sou abusada.

Então eu estou passando por isso agora... embora eu adore meu trabalho, o ambiente, meus chefes e colegas, meu salário não alto. Dá pro gasto básico, mas eu passo aperto!

E eu não tenho uma família onde os dois trabalham e sustentam a casa, por enquanto só quem trabalha sou eu!!

E aí que dia desses aqui no trabalho, num papinho rápido quando fui pegar um café, eu fiz um comentário que acabou rendendo esse post.

Eu tinha vinte anos quando minha mãe morreu, e um tio, que morava no Mato Grosso do Sul, veio me chamar para ir com ele para lá. Minha tia conseguiria vaga na faculdade onde ela era coordenadora e eu trabalharia com ele no escritório.

Eu não fui. Um ano depois, eu terminava o curso de secretariado e um aperfeiçoamento em inglês e fui chamada para estagiar no Chase Manhattan Bank, um grande banco estrangeiro. O horário era apertado e eu também não fui.

Algumas coisas concorreram para eu não aceitar essas propostas, mas quem decidiu foi o medo. Medo do desconhecido, medo de não ter com quem contar, medo de ir para um outro estado, longe de todos que eu conhecia.

Este post não tem nenhum objetivo, é apenas uma constatação. Eu perdi oportunidades por medo.

Não é arrependimento pelas escolhas que fiz ou não fiz. Se eu tivesse ido com meu tio, ou aceito o estágio no grande banco, não teria conhecido meu ex-marido, com quem eu fiz meu filho.

Talvez seja o peso da idade, o acúmulo de frustrações, desilusões e decepções, mas durante esses últimos dias eu me perguntei onde estaria se minhas escolhas tivessem sido diferentes?

E eu não tinha me dado conta até o dia em que, por acaso fiz esse comentário, enquanto pegava um café.



15 comentários:

VaneZa disse...

Eu sempre me faço essa pergunta, sempre! E a resposta normalmente vem acompanhada de frustrações. Medo do desconhecido eu acho que eu não tenho, na realidade eu chego a arriscar até demais, eu acho. Mas eu sei que perdi muitas chances por não ter buscado por elas. Na realidade, as chances não me foram oferecidas, nunca, mas eu poderia tê-las buscado, mas não fiz. Outros momentos eu vejo algumas pessoas que passaram pela minha vida, vejo onde estão e percebo que sem querer a o universo conspirou a meu favor em determinadas situações. Daí eu pensei no teu relato... pensei... vai que vc tivesse ido pro Mato Grosso e tivesse morrido com uma picada de uma cobra? Vai que esse banco tivesse falido e todos os funcionários tivessem sido usados como laranja pra algum golpe e vc tivesse se ferrado? rsO comentário até que começou sério, mas acabou virando piada.

BeijoZzz

Dama de Cinzas disse...

No meu caso, parei pra pensar um pouco agora e não vejo de que maneira poderia estar melhor profissionalmente, já que nunca ninguém me ofereceu emprego em lugar algum... rs. Sempre tive empregos muito ruins, conseguidos em agência de emprego mesmo, até me tornar funcionária pública, também com muito sacrifício, estudando pra passar.

Acho mesmo que a grande sacada da minha vida foi ter me tornado funcionária publica, o que faz da minha vida algo mais confortável nesse setor.

Na vida também não tive nenhuma boa oportunidade de nada, que tenha jogada pela janela, ou simplesmente deixado passar. Nem em relacionamentos amorosos, nem em nada. Enfim... Acho que minhas escolhas não poderiam ter sido outras.

Acho que só uma coisa acho que poderia ter feito uns 10 anos antes do que fiz. Ter indo morar sozinha.

Beijocas

Pandora disse...

Engraçado como vocês três me fizeram sentir infinitamente jovem e tola, geralmente eu só me sinto tola!

Eu estou na fase das escolhas, vc falou dos seus vinte anos e deu sinal de que as coisas não foram fáceis... meus vinte anos também não sendo, o medo parece ser uma sombra constante, enfim... nem sei, só estou pensando agora nas escolhas que faço todo dia e onde elas vão me levar...

Chero J@de!

Simone Audrei disse...

Sempre penso nisso, não é que não esteja satisfeita com minha vida Mas perdi inúmeras oportunidades não devido as minhas escolhas, mas escolhas que fizeram por mim, e isto me revolta um pouco. Mas como o tempo não volta atrás, ficamos só com o "se" ...
Bj

Cacá - José Cláudio disse...

Volta e meia me pego pensando sobre isso. Como teria sido se tivesse feito diferente do que fiz? Por medo também eu escolhi muito rapidamente algumas coisas importantes. Mais medo de não ter nova chance do que qualquer coisa, afinal quando não se tem dinheiro num país que não é condescendente com ese fato, a gente fica meio prisioneiro das poucas oportunidades. Hoje faço uma espécie de compensação: vejo aquilo que aprendi, aquilo no que me dei bem, na grande experiência que adquiri, nas filhas que tive, tudo para para aliviar muitas frustrações devido a escolhas onde não pude dizer muitos nãos. Abraços.

Atitude: substantivo feminino. disse...

J@ade, querida, veja bem:
Pior que uma escolha errada, é não ter feito escolha nenhuma. E é por isso a sua dor. Porque vc sabe que viveu com medo e quando se vive com medo se vive pela metade.
O medo nos impede sim, de muita coisa e ele na maioria das vezes é maior do que imaginamos. O bom disso tudo é que vc pelo menos se deu conta disso, vc percebeu que o medo não te levou a lugar nenhum.
Eu vira e mexe tenho essas frustrações e fico me perguntando o porquê. É difícil sabe..porque na hora não percebenos e deixamos passar.
Não significa que temos de sair por ai fazendo tudo que nos vem a cabeça, sem medira as consequências..não é isso...mas é que as vezes a gente confunde sentimentos e por não saber de fato o que queremos, deixamos de tomar certas decisões. O medo de errar também nos impede de aprender com o erro.

Hoje eu também penso mais assim.

Que vc consiga melhorar dessa sensação de angústia que vez ou outra nos domina.

Beijos!

Fernanda Iasi disse...

Ih Jadica, se paro pra pensar me dá vontade de gritar! Tanta chance que eu joguei no lixo! Como o tempo não volta tento aprender todo dia a tirar o melhor que tenho hoje, senão a coisa vai ficar muito ruim. Bjo!

Flávia Shiroma disse...

Jade,

Entendo o que quis dizer aqui, mas eu acredito que você não tenha perdido nada por medo. Esta frase pode ser velha, mas é verdade: ninguém perde o que nunca teve.
Se você tivesse, por exemplo, trabalhado no banco e lá perdesse o emprego por medo de alguma coisa, aí sim poderia dizer que perdeu a oportunidade.
Ao meu ver, nada daquilo que foi oferecido a você era seu!! Se fosse, você não teria recusado.
Uma vez fiz um post falando sobre exatamente isso: os "se´s" da vida! E se isso? E se aquilo???

Vou transcrever alguns trechos que tem a ver com seu post:

"...Existem coisas na vida que jamais saberemos. Se você escolher um caminho com uma certa idade, jamais saberá como estaria hoje se com aquela mesma idade tivesse optado pelo caminho oposto. Por isso sempre digo que durante a vida inteira sempre existirá um "quarto fechado" proibido para a nossa entrada que é onde tudo isso que jamais saberemos está guardado. Portanto, se já sabemos que jamais teremos acesso ao famoso como teria sido?"

"...Sabe aquela história assim: "E se a minha mãe não tivesse casado com meu pai? E se eu não tivesse subido naquele trem? E se eu tivesse passado naquele exame?...... tanãnã.... tanãnã...."
Pois é, não podemos pensar assim porque se fôssemos diferentes ou se tivéssemos feito escolhas diferentes, outros problemas, medos, angústias e dificuldades apareceriam!!!! Não tem escapatória!! E outra: poderiam, inclusive, ser problemas ou angústias infinitamente maiores do que os nossos atuais!!! Pensemos nisto."

Bjs querida!

::::FER:::: disse...

Ah! essa pergunta já me deu pesadelos, mas hoje me conformei, algo me puxou pra realidade por volta dos meus 18 anos e sei bem o que teria me acontecido se eu não tivesse feito o que eu não queria , hj com certeza eu estaria numa situação centenas de vezes pior, resolvi viver como todos e ser comum , a ter que seguir uma ousadia que poderia ter me consumido aos pucos , mas os anos que perdi na ilusão que eu vivia me trouxeram consequências que ainda assim me atrapalham um pouco, eu só tive um bem pelo esforço do meu trabalho que foi uma moto, se eu tivesse trabalhado antes hj eu poderia ter uma casa própria e um carro ao menos, mas agradeço a DEUS por ainda estar vivo e ter tido a oportunidade de escrever um novo fim já que jamais poderei recuperar o que passou. Hoje tenho 32 anos.



:::FER:::

Ella disse...

Olá, tudo bom? Há uns dois meses tu parou no meu blog por causa da Dama de Cinzas e hoje estou aqui para retribuir e agradecer a sua visita.

Muito obrigada e espero que volte!

Olha, eu gostei muito do seu post, sua pergunta é muito interessante mas antes de se arrepender de algo pense sempre que na vida nem sempre temos escolhas. Todo mundo diz que as temos mas não é bem assim !

Na verdade, nós temos alternativas, é bem diferente, porque se fossem escolhas nós saberíamos o resultado delas, entendeu ? O que acontece é que nós escolhemos as coisas no escuro e sem saber se vai certo. A gente escolhe um túnel e não sabe onde vai dar.

Por isso, não fica se culpando, achando que seria melhor se tivesse ido morar com seus tios ou se tivesse escolhido o outro emprego. Acredite, algum motivo tem para tu passar pelo que está passando... mais cedo ou mais tarde tudo se encaixará e tu dirá "-Que bom que passei por isso, sofri, mas agora colho os frutos !"

Beijos, sucesso e sorte pra você !

Rubi disse...

A vida e' mesmo assim. Mas tambem nao vale a pena estarmos a perder muito tempo a pensar onde estariamos agora se tivessemos optado pela opcao x e nao y. Isso desgasta e nao traz nada de bom. Por outro lado, tenho a certeza que quando voce olha para o seu filho nao tem duvidas que e' a melhor coisa que voce tem. Medo todos temos, 'as vezes nos congela, mas nem sempre. Tambem tive medo de seguir certos caminhos e segui outros que tambem me assustavam, mas estou aqui para contar a historia. O importante e' viver. Abraco!

O Guri disse...

Puxa-vida, concordo com a Pandora. E me arrependi várias vezes por não acreditar no meu potncial. Claro que aquela conversa sobre arriscar mais e tal é pura lorota, mas também é verdade. Além do mais o seu filho vale por tudo.

É incrível como eu tenho mdeo de ter filhos, ams sempre achoq ue o dos outros são uma benção e vaalem o mundo. Acho que o dinheiro é passageiro, mas não tenho ninguém pra sustentar e ainda não ganhei meu primeiro salário. Faço meu estágio por amor.

Sei lá né, é a vida. Não tem muito o que fazer... Sinto muito

Suzi disse...

Estava matutando acerca do seu post... E, comecei também a pensar, nos outros caminhos que não escolhi por influência, medo ou outro sentimento naquela ocasião.

Quando estamos decepcionadas ou visualizamos algo que não combina com a atual situação, relembramos momentos que poderíamos ter escolhido e porventura, não seríamos o que somos hoje...

Raras vezes, acontece isso comigo... Costumo não pensar.. Sofro mais por antecipação de algo (sobre meu futuro) do que pelo que não aconteceu...

Enfim.. Não sinta-se culpada pelo passado...

São escolhas..

Beijos

C. disse...

Oi Jade,
pra nós pobres mortais acho que estamos exatamente onde devíamos estar.
No seu caso, o emprego no banco, será que uma hora ou outra nao ia entrar um gerente novo, invocar com a tua cara e te mandar embora em pouco tempo?
Esse lance de mudar de cidade, (no meu caso de país) exige muito, é um novo caminhar. Nao creio que é todo mundo que tá a fim de recomeçar do zero, até de aprender a falar (novo idioma), ao invés de seguir do ponto onde está, com maiores chances, porque o básico já sabe.
Sempre digo que estou pronta sempre pra recomeçar, se for necessário, sempre trabalhei (desde os 14 anos) nao seria agora que ia me encolher.
Acho que pode ser aí que devemos focar as escolhas, escolhendo inclusive, recomeçar se for preciso.

Grande beijo!

Mulher de Fases™ disse...

Isso é chover no molhado. Passei um tempo revoltada e frustrada pensando nas minhas escolhas. Agora resolvi desencanar, se não foi, pq não era pra ser. É pra frente q se anda e não podemos parar. Se te serve de consolo, também ando dura rsrsrs.