segunda-feira, abril 30, 2007

Eu me acostumei a observar e encaixar as pessoas que conheço, em padrões familiares, não sei se isso é bom para mim, só sei que eu sou assim.

Quando conheço um homem virtualmente, já sei que o contato dificilmente passará disso, porque, por trás da maturidade, inteligência, simpatia e idéias legais, existe uma mulher normal, cuja foto já esteve inclusive nesse blog e não um ser tratado a photoshop ou que freqüenta a mídia.

O comentário pode parecer amargo, mas a maioria dos homens imagina isso, é o que mostrou minha experiência até hoje.

Há uns anos, conheci um vizinho pelo ICQ, falamos por telefone, durante um mês, até que resolvemos nos conhecer. Não criei expectativa alguma, mas por ele ser um vizinho, achei que iríamos nos aproximar mais, afinal já éramos amigos por telefone.

Depois de algumas horas divertidas de papo, chopp e pizza, nos despedimos com um abraço. No dia seguinte, procurei para agradecer pela noite e ele nunca mais me respondeu.

Por vingança eu criei outro ICQ, mandei uma foto falsa, minha prima no telefone e marquei um encontro perto da escola do meu filho só prá eu passar e ver o trouxa lá esperando. Foi ruindade, ele podia ter sido sincero, ele não é perfeito, nem eu, fazer o que?

Amadureci e, como disse, já identifico o padrão e nem dou abuso para esse tipo, pode se entusiasmar o quanto quiser com minhas idéias ou minha voz que vai ficar no vácuo!!

Por isso que desde o começo eu desconfiei dessa vaca. Sabia que a foto era falsa, sentia falsidade em suas palavras, achava que tudo que ela falava era invenção. Expressei minha opinião, mas não podia intervir.

A história já ia longe demais, quando eu me senti na obrigação de me meter, é meu amigo!! Pressionei e descobrimos tudo. Faltava saber quem era ela verdadeiramente, porque meu amigo ainda achava que ela era a pessoa da foto. E eu achava muito esquisito uma estranha ter feito tudo aquilo à troco de nada.

Dois meses antes dele conhecer essa "fake", houve uma moça na sala de bate-papo. Eles conversaram e encontraram-se uma vez. Ele me disse que achou simpática, e tal, mas, ela demonstrou ser uma pessoa tão carente e grudenta que ele se assustou, mas em vez de ser sincero ele só sumiu!!

Ela assumiu outra identidade e fez o mesmo que eu, com uma diferença, enquanto eu dei uma sacaneada no cara, quando foi desmascarada ela disse que mentiu sim, mas que seus sentimentos eram verdadeiros, maluca mesmo!!

Quando conversamos e eu disse a ele: "sabe, a falsa comportava-se do mesmo jeito que a verdadeira, você só se deixou enganar por causa daquela única foto que ela lhe mandou."

A resposta dele foi um olhar triste de quem se apercebe de alguma coisa e respondeu apenas: "É..."

3 comentários:

Rubina disse...

É preciso ter cuidado com as relações virtuais e não criar muitas expectativas. Jade parabéns atrasados. Um abraço

Fernanda disse...

É... Confesso que eu já armei uma igualzinho para um cara, por ter levado um bolo legal na última hora... Tb o fiz encontrar um alguém que inventei... Enfim, se fosse hoje não perderia meu tempo com isso, mas na época a vingança valeu...

Quanto a mulher da foto, já te disse que ela parece de comercial de margarina... Infelizmente muitos homens se deixam levar demais pela aparência, acaba dando nisso...

Ana Téjo disse...

Fui lendo os links, lendo os linksm lendo os links... que história doida, né? E que povo ruim e inseguro, que explora a vontade de ser feliz das pessoas... Aff!