sexta-feira, julho 06, 2007

Passei a maior parte da minha vida sob repressão, mas nunca me entreguei.
E ainda resisto, mesmo se tiver que fazer isso sozinho.

Pramoedya Ananta Toer, 72 anos, escritor indonésio, preso por se opor ao ex-ditador Suharto no golpe de 1966.

A frase do título vem de um post de junho de 2005, do meu primeiro blog, Prefiro ser Cinderela do que ser Amélia. Linkei o post aqui como referência.

Eu tenho lido bons blogs masculinos. Já linkei dois, porque gostei do estilo dos meninos. "Deslinkei" outros dois pelo mesmo motivo. Gosto do humor masculino, quando ele não esconde preconceitos. Sempre fui a menina que brincava com meninos.

Fui também a adolescente que cagou e andou quando foi chamada de sapatão porque era meio moleque. Minha orientação sexual é da minha conta, e apesar de tudo é convencional, minha orientação, não eu.

Sou filha dois arrimos de família. Minha mãe adaptou-se ao casamento e meu pai não. Meu pai até hoje cuida das irmãs (hoje são apenas 3, eram 8), mas nunca cuidou das filhas (somos 2). Administrar essa carência custou-me 3 anos de terapia, e alguns relacionamentos encalacrados.

Vivi num contrasenso, tentando equilibrar minha personalidade forte e independente com o que eu via que uma mulher devia esperar da vida. Cresci desencanada, e ao mesmo tempo atormentada por imensos preconceitos, que não faziam sentido...

Leio esses blogs e meninos comentando sobre as dificuldade de uma relação, ou de encontrar uma mulher, do mesmo jeito que eu encontro dificuldades com os homens.

Acho que não é fácil estabilizar-se numa relação quando você pensa um pouco diferente da maioria, os homens/mulheres esperam que você aja de um jeito, a sociedade lhe cobra também, e a relação que você achava que deveria ser de prazer, torna-se uma relação de dependência presa a clichês.

Dependentes e detentores nunca vão manter boas relações, porque o poder corrompe o ser humano. Sempre haverá o humilhado e o valentão!! Eu tentei me submeter a um casamento nesse estilo, assumindo tudo. Eu era mãe, esposa, dona-de-casa, secretária e mãe do meu ex-marido. Eu queria igualdade, meu marido não, e eu não aguentei.

Às vezes acho eu sou chata, em salas de bate-papo, a primeira coisa que perguntam quando você diz que é solteira: "você é muito exigente?" Não sou exigente, ou sou? Quero respeito, sinceridade, autenticidade, falta de hipocrisia, carinho e um sexo gostoso... é muito?

Ah sei lá... hoje especialmente estou me sentindo velha e insegura. E com um espírito adolescente, ansioso, que como acabou de dizer minha amiga Marcinha, é o que me faz sofrer... (esta frase não iria entrar neste post, mas entrou). Não é o sofrimento de dor, é o mal estar com a vida.

Novamente estou me sentindo mal amada. Life is a bitch!!

5 comentários:

Muneo disse...

Nossa, todo mundo ta meio noiado hein!!!
O Bonini é outro que ta com nuvenzinha negra em cima da cabeca...
http://www.palomaris.com/damisoginia/

Espero que nao seja contagioso!!! kkk!!!

Falando serio, nada de ficar assim chororô hein!!! =)

Suzi disse...

Acho show de bola o modo como você se encara e se assume, J@de.
"Conhece-te a ti mesmo" - das maiores sabedorias. Mesmo que isso doa...

Beijos,
e que daqui a pouco voc~e esteja cantando pra alguém: "você me dá sorte, meu amor, você me dá sorte, meu amor, você me dá sorte na vida..." ou algo assim, se isso for o que você quer.

;o)

Mosana disse...

tem dias que a gente preferia nem acordar.. quem dirá pensar tanto assim como vc.. as vezes vc racionaliza de mais (e quem não o faz neh?)
e viva os amanhãs!!!
melhoras lindona...
beijos

� Nath�lia � disse...

Ainda estou na minha fase de adolesc�ncia, beirando a juventude (18 aninhos), mas sempre sofri com estas repress�es.

Repress�es da fam�lia por gostar de tudo o que uma menina n�o deveria gostar(andar descal�a, cuidar s� do b�sico da beleza, gostar de rock pesado e ter mais amigos do que amigas).

Lembro que fui obrigada e ter festa de 15 anos, e isso era o que eu menos queria, achava uma tremenda palha�ada. Passei todo o m�s do meu anivers�rio brigando com minha m�e e ouvindo ela dizer que, se eu j� n�o fosse, daria uma �tima l�sbica.

Sempre encontrar�o, ou pelo menos tentar�o, encontrar um jeito de dominar aqueles que simplesmente nao se entregam para as exig�ncias da sociedade.

Voc� se perguntou se era exigente e eu te respondo: n�o, voc� n�o �. Apenas est� em busca daquilo que voc� deseja, e n�o do que todos dizem ser os ingredientes perfeitos para uma rela�o est�vel e uma vida boa de se viver.

Meu relacionamento atual est� indo muito bem, mas eu nao me contento com o pouco. Tem que ser uma mistura harmonica do meu jeito com o jeito dele, o que os dois desejam; e at� agora, depois de 13 meses, continua dando certo.

Desejo do fundo do meu cora�o que tudo se ajeite pra voc� que tudo fique de acordo com a sua vontade ou pelo menos extremamente parecido, rs.

Ps.: Deletei meu blog na sexta-feira, mas coloquei o seu e alguns outros nos meus favoritos, pois foram blogs que me conquistaram e eu nao consigo mais ficar sem visitar.

Bom, eu teria muito mais coisa pra falar, mas se eu continuar, esse coment�rio poder� ser confundido com uma publica�o que parou no lugar errado, rs.

Beijos pra voc�

Solange A. disse...

Tem dia que a gente acorda assim mesmo... Mas tudo nesta vida passa, ainda bem!

Espero que esta sensação melequenta já tenha saído do seu corpo.

Beijocas