quarta-feira, novembro 26, 2008

'Cause all I ever have: Redemption songs...

Redemption Song
Bob Marley


Esse post estava escrito há alguns dias, sendo aparando, sem eu saber direito a cara que ele ia ter, porque não era para ser mais um post-deprê. E apesar da cara de lamentação que ele tem, são só pinceladas da realidade de quem vive só.

Mas a Gambita (obrigada pelo comentário, moça) disse que custava a crer que eu andasse de mãos dadas com a depressão, porque me acha uma mulher forte, e tal...

Daí ele acabou saindo, porque às vezes, apesar da força, garra, e tudo mais, que certamente eu tenho, o que dá é uma vontade do caralho de largar a porra toda e ir morar numa caverna!!

Aí de tempos em tempos, eu tropeço e fico triste novamente! A tristeza vem da pressa, da ansiedade, de precisar resolver tudo sem contar com absolutamente ninguém!!

Não é que eu não tenha amigos nem meu filho, que me amam e que eu amo muito, mas quem não vive sozinho, não faz idéia do é ter que resolver tudo!! Tudim mesmo!!

A parte prática da vida é feia, boba, chata e xixi-coco!!

É você acordar e não comer pão se você não tiver ido comprar, e se você for comprar, é chegar com as compras e ir fazer o café!! É trabalhar para ganhar o dinheiro e espremer para tudo caber dentro do orçamento!!

É pegar um trabalho extra para digitar em casa e ter parar para fazer comida, que você teve que ir no supermercado comprar, e depois não esquecer de limpar o fogão e passar um pano no chão prá não ficar tudo engordurado!!

E se você tem rapidez e prática na cozinha e congela a comida, não pode esquecer de tirar do freezer, porque nem tudo dá prá descongelar no microondas!! E mesmo que você esteja com preguiça de fazer, ou queira poupar tempo, é você quem tem que ligar para pedir ou ir no restaurante comprar.

É botar o celular e as pilhas para carregar, trocar lâmpada, botar comida pras gatas e limpar a caixa de coco, é lavar roupa que para quem não sabe, inclui lençóis, fronhas e edredons, ou deixar de usar uma roupa porque esqueceu de lavar, limpar a casa, pagar as contas, e lembrar de todas!!

É perder o medo de barulhos e de escuro porque não tem ninguém para lhe aconchegar, é levar água pra cabeceira da cama, conferir se está tudo trancado, e jogar fora a caixa da pizza comida ontem...

E chegar em casa, abrir a porta do quarto (que tem que ficar trancada prás gatas não bagunçarem) e ver que o ventilador ficou ligado o dia todo!!

E não esquecer de tomar os remédios, vai que alguém descobre mesmo que é bom mijarem em você!!

E quando fechar negócio com a casa e for mudar, é ir no cartório cuidar dos documentos, ter que botar à venda o que não vai, porque a casa é menor, arrumar quem conserte e pinte o apartamento para entregar as chaves, dedetizar a casa nova, arrumar tudo nas caixas, desarrumar tudo na casa nova... e haja reticências!!

E tudo isso ainda arrumando tempo para tomar uma cervejinha com os amigos e assistir aquela porrada de seriados que você adora e não quer perder, ultimamente baixando tudo da internet!! (Salve São Torrent!!)

Meu filho faz alguma coisa é claro, mas ele tem 15 anos, não há como exigir que ele divida responsabilidades comigo, ele está na idade de "ajudar", tudo bem que é como muitos maridos fazem, e ele não é meu marido...

Enfim, essa é a vida de quem não tem pai, mãe, avó, irmã, marido, empregada, ou alguém com quem se divida o peso, porque ninguém merece ter que cuidar de tudo sozinho!

É jogar nas onze como diria minha santa mãezinha!! Mas alguém tem que fazer o serviço sujo né?

8 comentários:

Leandro disse...

Quando nos estatelamos no chão, queremos morrer. Mas, passados a dor e o mico, rende boas histórias e até algumas risadas. Viver é difícil e dolorido (alguém disse que seria fácil?), mas quem não passa por esse tipo de coisa não tem nada pra contar aos netos...

Eu arriscaria citar Nietzsche: O que não nos mata nos fortalece.

Desarranjo Sintético disse...

Bah, é isso aí, é o tal "só eu e Deus", eheehe. Imagino como deve ser complicado, nessas horas de preguiça e estresse que pensamos em ter uma mão a mais, não só para ajudar no serviço pesado, mas para acariciar nos momentos leves, mas enfim, nem tudo é perfeito e a liberdade também tem seu preço.
Abraços.

Fábio.

Rubi disse...

Um retrato muito fiel do que e viver sozinha, sei bem o que e. Mas calculo que tratar de tudo e viver. Um beijao e muita forca

Gambita disse...

Querida-Cinderela-Jade, ninguém disse que ser adulto é fácil, na maioria das vezes é tudo xixi-coco mesmo, mas tem o lado bom, você não dever explicações da tua vida pra absolutamente ninguém, e esse gostinho de liberdade é mto bom.
Feliz que vc tenha achado a tua casinha, e te desejo coisas boas nela.
Um grandioso abraço

Nathália disse...

É essa parte que me desanima tanto em sair de casa.
Principalmente em ter que perder o medo do escuro por estar sozinha. Volta e meia eu fico paranóica, e ficar sozinha em casa me angustia.

Sei lá, Jade... Eu te admiro de verdde.
Beijo!

Emília disse...

Minha querida, deve ser duro para valer, só posso imaginar porque nem me lembro de algum dia ter estado só, no sentido de ter de cuidar de tudo sózinha. Mas olhe que, maior parte das vezes, a gente está só, mesmo rodeada de tudo e de todos.
Um abraço grande e muita força.

Coral disse...

Há muito que cansei de ser sozinha, mas as alternativas tem sido poucas e não muito agradáveis. Sigo fingindo que dou conta...
Passei para dizer um oi xará.
Em Algum Lugar do Tempo.

Patty disse...

Oi amore, tudo bem?
Como sempre o seu espaço aqui está T-U-D-O-D-E-B-O-M!!! (rssss) Parabéns!
Tem post novo lá no VENTURAS... , depois vai lá e dê uma olhada.
Bjo