quinta-feira, janeiro 27, 2011

Morrer de amor não é difícil não. Se atirar do edifício. Viver de amor é que é difícil. Se atirar.

Xote do Edifício
Zeca Baleiro


Paixão é uma sensação boa demais! Já me apaixonei tanto e tantas vezes que já perdi a conta. A gente fica mole, com borboletas no estômago, tem aquele frisson quando vemos nosso objeto de desejo...

Pra mim, se apaixonar não é se perder, ficar cego, existe uma diferença entre se apaixonar e cismar. Sabe quando você jura que aquela é a pessoa da sua vida? E se você não ficar com ela, sua vida vai terminar!! E a infeliz da pessoa tem que se encaixar no seu modelo ideal de qualquer jeito... nossa! Como a gente bate cabeça até aprender...

É uma confusão muito grande criada por contos de fada, pela religião, pelas comédias românticas. Tenho uma visão diferente do que eu percebo na maioria das pessoas.

Acho sem sentido se apaixonar e se esquecer da vida, dos filhos, do emprego, sei lá, sempre segui com minha vida enquanto estava apaixonada, mesmo quando era adolescente, quando as coisas são muito mais intensas... provavelmente por falta de confiança!

Até que ponto confiar? O quanto você é capaz de se desnudar para uma pessoa sem o receio que amanhã ou depois ela vá sacanear você emocionalmente? É tão difícil assim confiar? Eu acho que é, mas eu sou suspeita pra falar, porque nunca tive sorte nos relacionamentos, se é que podemos chamar de sorte...

Mas ainda acho que paixão por si só, não nos liberta para a entrega, muita gente se apaixona, se confunde, não sabe a medida, aí dá uma merda danada na vida de todo mundo, não há confiança!

Não sei se isso tudo faz algum sentido, esse post estava no rascunho há tempos, mas quando ouvi essa música do Zeca Baleiro me deu vontade de postar...

12 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Pois é! Não me apaixono tem anos, nem pelo meu ultimo marido fui apaixonada. Às vezes tenho a impressão que nunca mais vou ficar.

Andei encantada com um cara, mas ele já virou sapo e assim a vida segue... rs

Beijocas

André Etê disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Afrodite disse...

Oi Jade,
Depois da minha última paixão eu tô correndo delas...todas!
Beijo!

Rolando disse...

Oi moça. Tudo blz? Estive por aqui. Você está certissima. Legal. Gostei. Apareça por lá. Abraços.

Pattr!cia disse...

Paixão, paixão...
Eu me apaixono, me entrego e me ferro...
Meu coração ja está pedindo arrego.

Beijos

Suzi disse...

Pra mim, é fácil seguir a vida enquanto se está apaixonado. Eu também sempre segui com a minha vida enquanto estava apaixonada.
O meu problema é o depois. "Quando a paixão não dá certo" (só pra usar versos de outra música). A partir do "The End". É aí que entra a minha dificuldade em seguir com a vida. Eu sempre termino pegando o trem da minha vida de novo. E não demoro tanto. Mas eu queria cair e levantar mais depressa... Viver depois do amor dá um pouquinho de trabalho...

Flor de Lótus disse...

Oi,J@de!Viver é arriscar-se apaixonar-se é muito arriscado,ams que graça tem a vida se não nos arriscarmos.Confiar é um problema eu sou a criatura mais desconfiada e resabiada do mundo, já levei muito na cara e sempre fico com os doi pés atrás eu confesso,mas não me privo de pelo menos tentar...
Um ótimo domingo!
Beijosss

disse...

Putz. Eu sou difícil de me apaixonar. Faz tempo... rsrsrs

Complicado, né?

Bjos

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

jade adorei ver vc pode comentar sempre que sentir vontade vamos interagir adoro isso!
olha adorei vir aqui gosto muito de ler e eu sou mais pela razão que pela paixão!rsrs
beijo

Tatiana disse...

Jade querida.
Eu tenho um pouco de receio da paixao, por ela ser muito emocional,prefiro um amor calmo e maduro(ahhh....e recíproco, se nao...NO WAY José), isso sim me da segurança!!!
Hahaha..."se apaixonar e cismar"...o pior que é isso mesmo!!!
Beijocas...adorei o tema!

Codinome Beija-Flor disse...

Nega!
Engraçado, quando li o título da sua postagem, a primeira coisa que fiz foi colocar a musica "Xote do Edificio", porque eu queria ler sua postagem e me embalar pela música.
Um coisa é fato, Amor não mata (se assim fosse eu teria morrido rsrsrs).
Das questões aqui colocadas por voce, eu escolhi uma para responder:
" O quanto você é capaz de se desnudar para uma pessoa sem o receio que amanhã ou depois ela vá sacanear você emocionalmente?"

Eis uma coisa que o amor faz "DESNUDAR" (meu ponto de vista). Amor não aceita máscaras, fórmulas ou receitas mágicas. Amor não tem esse ou aquele caminho. Amor é entrega e liberdade de vontades e desejos. Não há como amar fazendo previsões do que é que o ser amado vai fazer (sacanear ou não). Porque no amor somos nós que fazemos o que desejamos. E, tudo que o ser amado faz em relação ao amor que sentimos é o que permitimos que ele faça conosco. Ou seja, se somos amados ou humilhados foi com nossa permissão.
O amor é assim mesmo, a gente corre o risco de amar e não ser amado, por mais que possa doer muito mais que uma queda dos nossos "Edifícios de desilusões".
Voce sabe que eu ainda acredito no amor, porque eu ainda não descobri sentimento mais maaravilhoso.
Já que voce usou musica para sua postagem vou fazer o mesmo para encerrar o comentário:
"Quem já passou por essa vida e não viveu
Pode ser mais, mas sabe menos do que eu
Porque a vida só se dá pra quem se deu
Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu
Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, não..." (Como dizia o poeta - Vinicius de Moraes / Toquinho)

Bjs

Silvia disse...

Tenho muita facilidade em cismar. E vivo dando conselhos e torcendo para seguí-los, sabe?

Fujo da cisma, e há tempos não me apaixono... Gostaria, adoraria, mas de forma equilibrada... Me acovardei um pouco...

Beijos